domingo, 28 de agosto de 2016

La Place des Vosges

"La Place des Vosges" de Laurence Roque - Compagnie des Ouvrages

Antes da moldura - lado esquerdo
Antes da moldura - lado direito
Em Paris, esta é uma Praça (Place) que me fascina, pela sua simetria, que lhe confere uma beleza extraordinária.

É, ao mesmo tempo, um local que tem um dos muitos jardins que se encontram em Paris, onde nos podemos sentar e descansar depois de uma longa caminhada pelo Marais, ou após a visita ao Museu Picasso ou à Place de la Bastille. Para alguns ainda, faz parte do cenário do livro  "Três Mosqueteiros - Vinte Anos Depois", do Alexandre Dumas. Nela podemos encontrar a casa do Victor Hugo, que vale a pena conhecer.

Também pode servir de ponto de partida para ir ao Jacques Génin, comer um dos melhores mil-folhas de Paris:

Quando descobri que havia uma designer (Laurence Roque - Compagnie des Ouvrages) que tinha feito um esquema de ponto cruz da "Place des Vosges", sabia que tinha que a fazer! E assim foi, dediquei-lhe um ano da minha vida!

Fotos PNLima

sábado, 27 de agosto de 2016

"Simenon" de Pierre Assouline (ou o prazer de um livro terminado!)

Ed. Folio nº 2797, 1059 pág.

George Simenon é um dos meus escritores favoritos da literatura policial (considerado por muitos um género menor), da qual já falei num outro post, a propósito de Nero Wolfe.

Este é um dos autores mais lidos e traduzidos em todo o mundo, embora eu tenha que reconhecer que nunca li nenhum dos seus romances. No entanto, as histórias escritas no que diz respeito ao Inspector Maigret fazem as minhas delícias, especialmente "Maigret se defend", em que Maigret se tem que defender perante tudo e todos de uma falsa acusação.

Num passeio lisboeta, que nos levou para as bandas da Livraria Francesa, dei de caras com a biografia deste autor, escrita por Pierre Assouline. Nas suas páginas fiquei a saber pormenores da vida deste escritor belga, que inclusivé, após a Segunda Grande Guerra, correu risco de vida por ter tido alguma simpatia pelo lado alemão (embora pareça mais pelo que se lê ser um lado interesseiro, para manter a sua boa vida e não um lado de militância).

George Simenon tem uma produção literária extraordinária, começando muito cedo na Bélgica no meio jornalístico, optando por viver em Paris, para onde foi em 1922, tendo igualmente vivido um grande período de tempo na América do Norte e terminado a sua vida na Suiça, em 1989.

Tinha hábitos e horários rígidos, sempre em busca do romance perfeito, que o permitissem aceder ao patamar dos escritores que receberam um Nobel, mas nunca o conseguiu.

Para quem gosta deste escritor, eis uma excelente forma de conhecer mais um pouco do homem por detrás do Inspector Maigret, personagem baseada num vizinho médico, que morava no mesmo prédio, que George Simenon, na Place des Vosges. Quer Maigret quer Simenon sonharam ser médicos um dia!

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Ursos e Balões - versão menina e menino



O título do post diz tudo!

Acrescento só que o esquema foi retirado de uma "Labores del Hogar" que, entretanto, foi parar às mãos de uma prima da Covilhã, também dada a estas artes, para poder fazer o esquema para os meninos da família nascidos por lá.

Fotos PNLima

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Queen "Somebody to Love"

Durante muitos anos, este foi o disco que mais tocou lá por casa, na sua versão vinil 45 rotações:


O gira-discos era pequenito, mas fazia muito "barulho". E ainda hoje me lembro que era castanho, de tampa transparente e com agulhas a precisarem de ser mudadas de vez em quando.


Foto da capa do single, retirada da net

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Big Ben...


Este Big Ben foi feito como prenda para o meu Cavaleiro Andante já que, em passeio por Londres e após ter gostado tanto do monumento em causa, não nos foi possível encontrar um "souvenir" do Big Ben que fosse agradável à vista o suficiente para trazermos connosco.

Esquema retirado de uma "Cross Stitch Gold", sendo a sua autora Maria Diaz, que também fez o esquema de "Paris ao Entardecer" que já publiquei aqui.

Foto PNLima

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Sampler - Música


Já deu para perceber, pelos posts que por aqui aparecem, que gosto de música. Percorro o abecedário de A a Z por artistas e géneros musicais (por exemplo ABBA ou ZZ Top, Bach ou Carlos do Carmo) Há sempre uma música, algures por aí, que se adapta ao momento que estou a viver.

O gosto pela música vem de pequena, para o qual os meus pais tiveram um contributo fundamental, já que com eles ouvia de tudo, sem critério a princípio.

Nos idos de noventa descobrimos um talento na família, do lado beirão, que se aplicava no seu violino. O violino foi entretanto abandonado, mas o gosto pela música continuou, já que esse foi o tema do seu casamento (por exemplo a mesa dos primos, nos quais eu e o meu cavaleiro andante estávamos incluídos, chamava-se "I Will Survive" - Gloria Gaynor).
Menciono o lado beirão da família porque este "sampler" foi feito em 1995, ainda o violino era tocado por lá por casa, em homenagem à prima Beatriz (que se mantém viva na nossa memória) e na altura comemorava os seus belíssimos 75 anos.

Aproveito para lembrar o meu pai que faria anos hoje e dar os parabéns ao moço que largou o violino há tantos anos atrás.

Não resisto a aconselhar como banda sonora deste post a minha peça favorita de violino, "Concerto para Violino e Orquestra BWV 1043", de Johann Sebastian Bach, que descobri há uns largos anos na Dargil, em Lisboa.


Foto PNLima

sábado, 20 de agosto de 2016

Sting "Saint Agnes and The Burning Train"


Música: Sting

Há músicas perfeitas e discos perfeitos. Durante anos "The Soul Cages" ouviu-se lá por casa numa cassete, numa daquelas "belas" aparelhagens compactas em que, a páginas tantas, o CD pifa, ficando só o gravador e o rádio a funcionar. E se gosto de todas as canções que por ali passavam, "Saint Agnes and The Burning Train", pela beleza e simplicidade, é a minha favorita!